Pandemia provocada pelo novo coronavírus atinge área da Educação

No final do ano de 2019, o mundo foi surpreendido com a notícia de um novo vírus que surgiu na Província de Whuan, na China, infectando milhares de pessoas e provocando na sequência, uma pandemia mundial de grandes proporções. O novo coronavírus causa a Covid-19, doença que pode evoluir para formas graves de doenças respiratórias, atingindo principalmente as pessoas acima de 60 anos e portadores de cardiopatias, diabetes, doenças autoimunes, quem faz tratamento contra câncer, dentre outros grupos considerados de risco.

Acredita-se que o vírus chegou ao Brasil por volta do mês de fevereiro, o primeiro óbito pela doença foi registrado em março, sendo que, neste mesmo mês, iniciou-se no país o chamado “isolamento social”, com a suspensão das atividades não essenciais e o pedido para que as pessoas ficassem em casa. Estas ações, embora não parem o vírus, são indicadas para proteger os mais vulneráveis e diminuir a sobrecarga dos sistemas de saúde das cidades, evitando assim um colapso dos sistemas.

Há mais de 100 dias do início da pandemia, o Brasil já ultrapassou a infeliz marca de 2 milhões de infectados e mais de 75 mil mortos pela Covid-19. Uma grave crise política, econômica e sanitária se instalou no país, a situação ficou ainda mais grave com a inépcia do executivo federal em propor soluções para amenização da crise econômica que o país já vinha enfrentando. Pelo contrário, Bolsonaro investiu na tática de enfrentamento entre poderes e criou severas animosidades entre o executivo e os poderes legislativo e judiciário, colocando em ricos a democracia brasileira e a estabilidade das instituições democráticas inauguradas em 1988 pela Constituição Cidadã.

SUSPENSÃO DAS ATIVIDADES E NOVOS DESAFIOS

A cidade de Lavras vem sentido também todos os efeitos da pandemia, tendo atualmente mais de uma centena de infectados e um número de mortos acima da média nacional. E assim como em todo o setor da Educação, a UFLA suspendeu as aulas e paralisou praticamente todas as suas atividades presenciais, adotando, para a maioria dos servidores, o trabalho remoto.

Esta nova situação coloca os servidores da UFLA diante de muitos desafios para o presente e, principalmente, para o futuro. Nas universidades, já se inicia a discussão sobre o retorno às aulas após a pandemia, o que acontecerá com relação ao primeiro semestre letivo de 2020, como organizar o trabalho remoto e como será a segurança dos trabalhadores ao retorno do trabalho físico. Estes são temas importantes sobre os quais o Sindicato está de debruçando, pois todos eles impactarão fortemente o trabalho dos servidores Técnico-Administrativos em Educação.

A direção do Sindicato informa que estará atenta a todos os movimentos no sentido de garantir aos TAE as melhores condições possíveis para a realização do trabalho presencial, quando ele for possível, uma vez que não há, nesse momento, nenhuma previsão oficial de retorno. A direção está, ainda, em diálogo constante com os trabalhadores dos serviços essenciais, defendendo irrestritamente a garantia de condições de saúde e segurança laborais.

Fazemos um apelo a toda a categoria, em defesa de nossas vidas: fique em casa sempre que possível; saia exclusivamente em caso de necessidade; ao sair, use máscara e álcool em gel; lave sempre as mãos com água e sabão; mantenha os ambientes limpos e cuide bem da saúde!

Premium WordPress Themes Download
Download Best WordPress Themes Free Download
Download Best WordPress Themes Free Download
Download Nulled WordPress Themes
download udemy paid course for free

Disponível em <https://sindufla.org.br/2020/10/08/em-defesa-dos-servicos-publicos-e-dos-direitos-dos-servidores-o-sind-ufla-lancou-no-ultimo-dia-25-campanha-contra-a-reforma-administrativa/> Acesso: 27/10/2020 às 18:15