Pauta Interna: O acordo

Na greve dos servidores técnico-administrativos ocorrida em 2015, articulou-se uma importante pauta de reivindicações internas no âmbito da UFLA, após a realização de assembléias específicas, com identificação das principais demandas da categoria de TAE’s dessa instituição. Cinco pontos principais foram incluídos para dar início ao debate e negociação com a diretoria executiva da UFLA. São eles: democratização e transparência dos espaços da UFLA, revisão do ponto eletrônico, afastamento para pós-graduação strictu sensu, flexibilização do horário de trabalho e jornada de 30 horas.

Mesmo com a construção coletiva da pauta interna, a categoria não obteve êxito nas negociações e sequer foi recebida pela Diretoria Executiva nos primeiros 50 dias de greve. No entanto, os servidores técnicos permaneceram mobilizados, com realização de assembléias e atos na universidade durante todo o movimento paredista. Após sucessivas lutas, o comando de greve foi recebido somente após um “trancaço” no prédio da administração e, a partir daí, iniciou-se uma agenda para discutir os itens da pauta interna com a realização de reuniões com todos os pró-reitores, além do próprio reitor.

Com a espera de 292 dias desde o fim da greve de 2015, finalmente o Sind-UFLA, na época sob a presidência de Antonio Massensini Júnior, foi recebido para formalizar o acordo da pauta interna dos Técnicos Administrativos. A assinatura do termo, celebrada no dia 27 de julho de 2016, representou um marco no reconhecimento da luta da categoria e no fortalecimento do sindicato. Nesse dia, foi dado destaque à importância desse acordo em prol das melhorias coletivas e da própria instituição como uma universidade que deve primar pela valorização de seus servidores.

Cumpre lembrar, inclusive, que as demandas da categoria pautaram também os debates e as campanhas das chapas candidatas durante a eleição de 2015 para Reitor da UFLA, o que demonstra mais uma vez a legitimidade e a força da pauta interna. No entanto, um ano se passou e, até o momento, o acordo não saiu do papel, o que gera uma preocupação e uma insatisfação da categoria que viu nesse acordo uma esperança de uma UFLA melhor.

O Sind-Ufla protocolou na reitoria, no dia 28 de junho, ofício cobrando esclarecimentos acerca do andamento da aplicação dos tópicos contemplados na pauta interna e das comissões frutos desse acordo, assim como estabelecimento de um cronograma para a conclusão dos atos pactuados no referido termo, uma vez que todos os prazos encontram-se exauridos. Entretanto, até o fechamento desta publicação, não houve resposta por parte da Reitoria.

Clique aqui para conferir na íntegra os Termos do Acordo.

Assista abaixo apresentação com andamento da Pauta Interna.