Histórico

A história do SindUFLA começa em 1964, ano critico para a história do país, com a revolução  que culminou com o golpe militar e o início da ditadura dos generais que durou mais de 20 anos. Mas, a história do SindUFLA começa não com um sentido revolucionário, mas com o espírito de solidariedade.

Como se sabe, a UFLA, já foi ESAL e também Escola Agrícola essa, fundada por Benjamim Hunnicut em 1908, como extensão do então Ginásio de Lavras (hoje, Instituto Gammom).

Na década de 1960, o colégio, por motivos de ordem financeira, não tinha mais condições de manter a Escola Agrícola. Os salários dos funcionários foram suspensos e  situação se agravou. A Escola Agrícola ameaçava fechar as portas por falta de dinheiro e de condições de funcionamento. Os funcionários que tiveram seus salários sacrificados estavam dependentes de empréstimos e contribuições dos professores para manterem-se e honrarem seus compromissos. A situação era grave.

Em meio à crise, o então diretor de Escola Alysson Paolinelli, tentava junto ao governo que a escola fosse federalizada, negociando com o primeiro ministro Tancredo Neves, e contando com a intermediação do ex-presidente Juscelino Kubsticheck.

Em Lavras, o vice-diretor, Silvio Nogueira tentava uma saída para resolver os problemas dos funcionários: a criação de uma “Caixinha” a partir da contribuição mensal de todos para conceder empréstimos e atender às emergências enquanto não se regularizava os salários, o que aconteceu em 1964.

Entre a criação da caixinha e a formação de uma associação passaram-se quase dois anos. Na primeira eleição concorreram duas chapas compostas por presidente, vice-presidente, 1º e 2º tesoureiros e o Conselho Deliberativo: a primeira liderada por Erasto Emerich e a segunda com Alberto Ferreira para Presidente e Mário Pierângeli para vice, que venceu a eleição e entrou para a história da organização interna da Universidades como primeiro presidente da Associação dos Servidores da ESAL, a esta altura já transformada em Escola Federal .

O primeiro estatuto da recém criada Associação foi elaborado na primeira gestão, com base no estatuto da Associação dos  Servidores da Universidade Federal de Viçosa.

Desta primeira parte da história do sindicato, sabe-se que sua ação tinha principalmente a preocupação social, como a manutenção da caixinha e a revenda de produtos da própria escola, vendidos a preços menores aos servidores. A partir destas iniciativas surgiram as primeiras células de dois outros importantes organismos internos, a COOPESAL, e o CREDIESAL.

A Associação dos Servidores da ESAL (ASSESAL), já foi também SINSESAL quando foi transformado em sindicato (1980-1982) e finalmente SINDUFLA após a ESAL ser transformada em Universidade em 1995.

Hoje, passados 36 anos, desde o inicio desta história, o sindicato contabiliza um passado de lutas e representatividade do servidor técnico-administrativo na Universidade. Muitos dos benefícios materiais ou financeiros que hoje usufruímos, foram obtidos através de greves e movimentos reivindicatórios tanto no âmbito nacional como no âmbito local.

Filiado à Federação dos Servidores das Universidades Brasileira, FASUBRA, o sindicato está sintonizado com as ações dos servidores federais de todo o país. Suas assessorias trabalham continuadamente e estão presentes nos mais diversos segmentos da universidade, representando nossos interesses e defendendo nossos direitos.

Hoje, o sindicato tem uma imensa responsabilidade política para com seus filiados, pois é um representante legitimo, reconhecido investido de árdua tarefa de busca para fazer valer os direitos legítimos concedidos pelos próprios governantes que nem sempre os reconhecem e constantemente os negam.

Sem o sindicato, o sindicalizado não teria representação legal para exigir na justiça benefícios que são negados com base em falsas alegações de economia ou escassez de recursos. Não teria voz nas esferas de decisões políticas e administrativas da Universidade, através dos conselhos ou mesmo assembleias departamentais.

Sem o sindicato, o sindicalizado não teria acesso às informações que são de seu interesse direto, e muito menos benefícios como convênios e facilidades de crédito.

Portanto, a importância do SindUFLA, é contribuir para que os filiados se fortaleçam, ganhando a cada dia, mais espaço na luta pelos seus direitos.