Nota de apoio aos estudantes detidos por panfletagem.

NOTA DE APOIO

 

Os/as Técnicos/as Administrativos/as presentes na assembleia do dia 18 de outubro de 2018 decidiram por vir a público manifestar apoio aos jovens estudantes que foram injustamente detidos pela Polícia Federal por participarem de panfletagem na região central da cidade de Campinas-SP.

De acordo com o que foi amplamente noticiado pela imprensa a Guarda Municipal teria abordado Marcela Carbone, de 27 anos e formada em artes cênicas pela USP, e João Pedro Buzalsky, de 20 anos e estudante do primeiro ano de Economia na Unicamp na última terça feira por volta das 10h30. A acusação era a de que eles estariam fazendo panfletagem em uma área do Terminal Central de ônibus, onde a propaganda política seria proibida, por se tratar de um equipamento municipal. O material panfletado foi apreendido e os jovens passaram a dizer às pessoas em voz alta o que se passava. O guarda teria insistido e se sentido ofendido com os questionamentos dos envolvidos. Em dado momento, os jovens afirmaram que tal atitude era autoritária e que se assemelhava a uma volta da ditadura militar, ao que o guarda teria respondido: “É mesmo, a ditadura já começou, você não sabia?” Uma outra grande problemática presente em tal conduta dos representantes da segurança pública é quanto sua irresponsável inobservância dos fatos e da legislação, tendo em vista que os estudantes estavam em uma área que não condiz com os termos previstos na lei eleitoral. Sendo assim, houve um claro abuso de autoridade, evidenciado até pelo diálogo travado entre as partes, com clara e explícita apologia aos tempos sombrios de ditadura proferida pela parte acusadora.

Os estudantes terminaram detidos e levados para o 1º Distrito Policial. De lá, foram encaminhados para a sede da Polícia Federal em Campinas, que é a responsável por apurar crimes de natureza eleitoral.  

Como instituição que primeiramente zela pelos direitos democráticos em nossas universidades e também em todo nosso país e pelo bem-estar de nossa população brasileira, nos técnicas e técnicos administrativos da Universidade Federal de Lavras repudiamos veementemente os direcionamentos tomados pelas autoridades envolvidas e reitera sua preocupação com os rumos que a democracia brasileira vem tomando.

Vivemos em tempos de obscurantismo, com uma escalada do reacionarismo e da violência estimulada pela polarização do cenário eleitoral, o que consideramos inaceitável. Este sentimento de preocupação e de inconformidade é que nos motiva a publicar a presente nota. Aproveitamos para também relembrar da ocorrência de um fato semelhante acontecido com nosso colega Euzébio Luiz Pinto quando foi abordado e ameaçado por seguranças de nossa universidade ao impedirem que ele distribuísse panfletos de divulgação de um evento promovido pelo Fórum de Lutas de Lavras (que reúne militantes e entidades sindicais da cidade) em junho de 2018. Afirmamos que lutaremos em defesa e ao lado daqueles e daquelas que anseiam por dias melhores, assim apresentamos aqui toda nossa solidariedade aos jovens estudantes e ao nosso colega tae que tiveram suas liberdades de expressão censuradas e repreendidas com detenção e ameaças.

Lavras, 19 de outubro de 2018.

Nota de Apoio – Estudantes detidos

Faça o primeiro comentário a "Nota de apoio aos estudantes detidos por panfletagem."

Comentar

O seu endereço de email não será publicado.


*